Thor: Ragnarok | Crítica


Direção: Taika Waititi
Roteiro: Eric Pearson
Distribuição: DISNEY / BUENA VISTA
Gênero: Ação / Fantasia / Aventura / Ficção científica
Lançamento Br.: 26 de outubro de 2017
Duração: 2h 11min

Thor se encontra preso por um de seus inimigos. Numa meia menção a destruição de Asgard, Thor vai fazer de tudo para escapar desse lugar para que possa derrotar Ragnarok. Acontece que uma nova força poderosa nasce enquanto ele esteve fora. A maior dúvida é de onde seu irmão possa estar escondendo Odin. Em uma busca admirável, com a aparição especial de um dos personagens da Marvel, tudo vai ficar mais divertido até que Thor e Loki se reencontram com o pai. No mais, um grande segredo será desenterrado da pior forma que imaginariam. 


Hela a grande vilã desse longa, à qual eu me refiro uma das melhores na versão feminina, prestou um belo papel ao tentar fazer com que todos a oferecessem um poder grandioso. O que me incomodou no menos, é que nos quadrinhos, ela faz parte de uma outra linhagem, não a que é contada no filme. Mas eu curti a aparição dela nesse longa porquê como eu já disse, ela se rendeu a um dos melhores papéis na era asgardiana.


O filme está mais que espetacular. Seria pouco senão dizer... válido de um deus, não?
Como todos sabem, nosso queridinho, Lee, também aparece no meio e como ele consegue arrancar tantas risadas dos fãs da forma mais épica? Me ensina Stan!


Depois de ter todos os segredos (que não posso contar), Thor vai parar em um outro planeta. Ele fará parte de uma luta de gladiadores que são apostados. Uma valkiria irá o encontrar e está aqui um possível casalzinho. Hulk será uma das peças principais no filme e arrancou muitas risadas de noventa por cento da sala do cinema. 


Infelizmente fui obrigado a assistir dublado e que bosta. Quer acabar com meu tesão, coloca filmes dublados e fim. Thor: Ragnarok está cheio de ação, uma montagem e escolha perfeita que se passa em pouco lugares com o foco ainda, na relação dos irmão que se 'odeiam' e com Hela na trama, tudo ficou mais gostoso. A questão de ter inserido mais humor, ficou muita massa. No meu ponto de vista, isso foi bem necessário. Apesar de manter um ritmo na aventura e tal, deu uma quebra de leve na tensão da história.


Vi uma galera pequena reclamando, mas isso não estragaria um filme que possui um legado de um herói que faz parte da franquia mais importante da Marvel. O filme possui duas cenas pós créditos, sendo apenas a primeira importante. Gostei muito do filme e obviamente já fiz a propaganda aos quais já sentiam vontade e conhecem o deus lindão lá.


Algo a mais que percebi também, foi a jogada que fizeram a menção a Guardiões da Galáxia. Bem que é uma mistura louca e enfim... filme com história bacana, mereceria cinco estrelas se aqui eu as colocasse. O figurino dessa vez está incrível. Repaginaram a parada toda dando mais cor. Não seis e foi impressão minha mas está uma coisa mais vintage só que com muita saturação de cor.


Á, algo mais... o nude do Hulk é real.

Comentários

Mais Visitadas do mês

Balançando a Raba 4.0

It - A Coisa | Crítica

Missão Fênix - A Outra Guerra | Resenha #93

Serial Killers - Anatomia do Mal | Resenha #95

IMPORTANTE. LEIA!