Eu, Robô | Resenha #88


Senhoras e senhores, segurem seus forninhos, porque hoje a resenha vem de um gênero que foi muito além da minha capacidade, muito além das minhas forças. Preparem-se para uma realidade na qual não sabemos se estamos conversando com um robô ou com um ser humano.

Título: Eu, Robô
Autor: Isaac Asimov
Editora: Aleph
Ano: 2014
Páginas: 320
Onde comprar: Submarino | Saraiva




Sinopse

Sensíveis, divertidos e instigantes, os contos de Eu, robô são um marco na história da ficção científica, seja pela introdução das célebres Leis da Robótica, pelos personagens inesquecíveis ou por seu olhar completamente novo a respeito das máquinas. Vivam eles na Terra ou no espaço sideral; sejam domésticos ou especializados, submissos ou rebeldes, meramente mecânicos ou humanizados, os robôs de Asimov conquistaram a cabeça e a alma de gerações de escritores, cineastas e cientistas, sendo até hoje fonte de inspiração de tudo o que lemos e assistimos sobre essas criaturas mecânicas.

Resenha

Isaac Asimov e seu brilhantismo! Em Eu, robô estão reunidos 9 contos publicados entre os anos de 1940 a 1950, que abordam sempre as 3 leis da robótica (criadas pelo próprio Asimov). Em todos os contos, temos alguma situação problema e as leis da robótica orientam na resolução da situação.


Inicialmente temos uma introdução que nos apresenta a Dra. Susan Calvin que é uma robôpsicóloga que está se aposentando após anos de trabalho na U.S Robôs e Homens Mecânicos. Então, os contos são narrados por Susan, e em alguns ela é personagem principal na história, e existem outros personagens que se repetem, dentre eles estão os especialistas Mike Donovan e Gregory Powell, que sempre se encontram em situações em que dependem das leis da robótica para solucionar problemas. Esses dois personagens são muito divertidos e inteligentíssimos, o melhor conto que eles protagonizam na minha opinião é que se passa em Mercúrio, isso mesmo, em Mercúrio.


Os contos são narrados em ordem cronológica, de 1996 até 2052 assim, conhecemos o início da criação dos robôs, dos mais básicos até os mais avançados. Então conhecemos robôs babás que são gigantes e não falam, até robôs humanoides que vivem como humanos nos deixando em dúvida até mesmo se são mesmo robôs de tão próximos de nós.

O que eu achei

Confesso que tive bastante dificuldade na leitura desse livro. Primeiramente, porque a edição que li era uma edição de bolso e a letra era bem pequena, mas assim que passei a ler também no tablet este desconforto inicial foi resolvido. A segunda dificuldade veio em ler um gênero que eu nunca tinha lido: Ficção Científica, e confesso que me surpreendi com os detalhes. Algumas pessoas me disseram que eu comecei bem por Asimov e seu clássico: Eu, robô.


Eu me peguei em vários momentos divagando sobre a humanização dos robôs criados por Asimov. Tive que me policiar e em alguns contos eu não consegui me lembrar que se tratava de um robô e não um ser humano. No primeiro conto temos um modelo bem simples de robô que trabalha como babá de uma criança que se apega muito a ele, e tudo que eles vivem juntos é tão comovente que não acreditamos que é apenas um robô. Então em vários momentos do conto, temos que fazer uma pausa com a seguinte reflexão: Não é um ser humano, é um robô.


Confesso que o segundo conto que é que mais me alarmou: ele se passa em Mercúrio. Gente do céu! Antes das 100 primeiras páginas já somos bombardeados com uma informação quase impossível de conceber: Humanos e Robôs trabalhando em Mercúrio! Que vontade de gritar: “Mercúrio? É sério isso produção?”

Todos os contos contam com fatores que foram bem complicados para minha mente que não conhecia nada de ficção científica lidar. E eu já peguei o livro sabendo que não era a história do filme, o filme foi inspirados nos contos, então existem cenas no filme que acontecem no conto, mas no geral o ultimo conto é basicamente como o mundo está no filme: governado pela Máquina. Esse último conto é super complexo, eu achei.

Muitos me disseram que comecei bem o gênero de ficção científica por Asimov e seu livro Eu, robô. Vocês que já leem esse gênero, me digam o que vocês acham e me indiquem outros livros e vocês que ainda não leram, fica aí a dica! Abraços!



Comentários

  1. Um livro que ainda não li e que realmente preciso depois dessa resenha.
    Gostei demais e me fez lembrar de um livro que li e até resenhei aqui.
    "Em busca de vida inteligente" é o nome do livro.
    Escrito em contos também pelo autor Victor. :D
    Acho que irá gostar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma amiga minha tem este livro, assim que eu tiver uma brecha vou ler. Obrigada pela dica!

      Excluir
  2. eu adoro estes tipos de livros que fazem a gente pensar na sociedade atual, sabe. às vezes ficamos tão focados em tecnologia que esquecemos de refletir algumas coisas, em como muitas vezes seres humanos parecem robôs, eu já li alguns contos desse livro e foi a impressão que ficou pra mim. parabéns pela resenha, quero voltar mais vezes aqui, e fique a vontade para me visitar no meu - pequenos deleites - quando quiser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Eu também adoro livros que nos tiram da zona de conforto! Valeu!

      Excluir
  3. Eu assisti no filme mas não conhecia o livro. Deve ser bem interessante observar essa convivência entre humanos e robôs durante várias décadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, foi o que me chamou mais atenção, essa dualidade. Leia o livro, você vai gostar!

      Excluir
  4. Oi Gislene!!
    Eu morria e não sabia que tinha um livro. Eu só conhecia o filme. Assim como você, eu também teria bastante dificuldade para ler esse gênero. Eu sou leitora assídua de romances rsrs
    Parabéns pela resenha!!
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra nos tirar da zona de conforto esse livro é aquele tipo que faz o tempo todo se indagar de como uma coisa dessas pode acontecer. É um desafio ler ficção científica!

      Excluir
  5. Olá Gislene Ramos!
    Sua resenha ficou incrível, detalhada na medida certa! Esse livro está na minha lista de livros que quero ler faz tempo, mas é a primeira resenha que leio dele. Sua resenha apenas aumentou minha vontade de ler. Que bom que os personagens são divertidos e inteligentíssimos. Bacanas os contos seguirem uma ordem cronológica. Pena que teve dificuldade com a leitura, mas que bom que resolveu o primeiro problema. E, bom que se surpreendeu com os detalhes. Beijos'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando você ler, volte aqui para discutirmos mais sobre a leitura. É sempre bom compartilhar!

      Excluir
  6. Um livro que tá na minha lista de desejados a mil anos!! Sempre tive curiosidade para ler!! Gostei bastante da sua resenha. Ela tá bem explicada e isso só contribuiu para aumentar a minha vontade de ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses contos nos deixam de cabelo em pé! Assim que você ler, venha e deixe suas impressões!

      Excluir
  7. Olá Gislene!!! Tudo bom contigo?
    Já ouvi dizer nesse livro, contudo até o momento nunca realizei a leitura, tão pouco li uma resenha, parece ser interessante. Sua resenha está ótimo, gostei muito da riqueza nos detalhes.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, fica a dica de uma leitura gostosa e em alguns momentos perturbadora. Até a próxima!

      Excluir

Postar um comentário

Mais Visitadas do mês

Desafios | Jalysson Waldorf - Parte 1

Balançando a Raba 4.0

It - A Coisa | Crítica

IMPORTANTE. LEIA!

Missão Fênix - A Outra Guerra | Resenha #93