Os Últimos Dias | Resenha #70


Oi Oi amigos
Tudo bem com vocês?

Irão conhecer agora um livro motivacional. Não me venha com pequenas "explicações" fajutas de que não curte tal tipo de leitura. EI, espere. Não pare de ler isso. Peço para que continue e veja como o mundo é pequeno e lindo. Em pequenos gestos e agrados, conseguimos favorecer alguém que necessita de apenas um sorriso ou apenas um reconhecimento especial. Confira agora:

Título: Os Últimos Dias
Autor: Bela Dias
ISBN: 9788542809923
Ano de publicação: 2016
Publicado por: Talentos da Literatura Brasileira (NS)
Páginas: 123
Onde comprar: SubmarinoAmericanas.





Sinopse

O tempo é algo subjetivo. Ele pode ser infinito para alguns e efêmero para outros. No entanto, uma coisa é certa: todos nós temos nosso tempo. E o de Raquel e Gabriel está acabando, pois ambos foram diagnosticados com leucemia. Ela tem 16 anos e ele, 6. Apesar da diferença de idade, ao se conhecerem no hospital, os dois rapidamente se tornam melhores amigos. Juntos, descobrem como aproveitar seus últimos dias, em meio a tantos tratamentos, remédios, dores, exames e olhares piedosos, tornando a dura e triste rotina do hospital um pouco mais divertida. Seja com uma coleção de pores do sol, observando formatos de nuvens, assistindo a desenhos infantis ou lendo O Pequeno Príncipe , mas, principalmente, acreditando que em todo fim existe um novo começo.

Resenha

Raquel é apenas uma menina de dezesseis anos que pelo infortúnio da vida, acaba tendo alguns problemas e adquire o câncer. Em sua pequena experiência no hospital, conhece o lindo Gabriel. Ele também está no hospital pela mesma causa, mas com um grau elevado da doença. Os dois fazem traquinagens e seus destinos foram traçados por grandes motivos.


Bela Dias nos apresenta algo não tão surreal, mas que ao mesmo tempo pode ser considerado comum. Raquel é uma personagem que saiu da vida real e isso acabou me chocando e pensava: "Coitada da Raquel da vida real". Apesar da doença de ambos os personagens, podemos ter a certeza de o que Bela quer nos apresentar é bem mais valoroso do que todos os pesares.


O livro é narrado pela Raquel e o que torna ele como uma forma de diário. Nele nos escreve como é o decorrer da descoberta, da falta de amigos no colégio, do que passa e casa e como vive sua vida "pacatinha" e entediante. A forma como se é passado esses momentos, se compara a muitas pessoas, eu tenho certeza. Raquel se torna "famosinha" na escola justamente pela doença e essa é uma das partes que mais me interessou. Foi preciso algo de ruim lhe acontecer para ter o que tanto desejava: Amigos.


Ao falar como são os tratamentos e a forma que conhece Gabriel é grandioso. Não tinha a mínima noção até me lembrar da leitura de "A Culpa é Das Estrelas" e tentar fazer algumas montagens de igualdade. Não consegui obviamente, porque esse livro fez dele especial por algo que muitos não podem prestar atenção. Quero que todos que lerem esse livro, possa compreender o que Bela quis fazer. 

No livro temos apenas a lembrança pregada por Renato Russo:

"É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há"


A única ciosa que pensava era exatamente nisso. Precisamos fazer o bem. Simplesmente um garotinho entra no seu quarto, espera Raquel acordar e da um sorriso necessário no momento. As coisas acontecem de uma forma mágica. A conexão dos dois foi uma coisa bem rápida. Acho que isso fazia literalmente parte da ideia de Bela Dias. Fazer as coisas acontecerem para demonstrar a pressa das coisas e da vida. 


Eu ADOREI a leitura e a oportunidade de poder conhecer a obra e a autora pessoalmente. Vocês não fazem ideia do quanto é simpática e merece sim, todo sucesso. Claro que é apenas seu início, Bela. Tem um longo caminho a percorrer e muita história para nos escrever. Obrigado pela confiança e obrigado mais uma vez por me apresentar essa história que me motivou a fazer mudanças de comportamento pessoal. <3.


Não poderia deixar de comentar sobre a capa. Para quem ler, fará todo um sentido quando terminar. Eu fechei o livro assim que finalizei com um pesar, olhei pra capa e tive meio que uma recaída. Isso não é comum. Só queria comentar mesmo.

Vocês já sabem o que fazer né? Vão logo comprar esse livro. Você não precisa, mas NECESSITA lê-lo. Não perca tempo. Aproveite como se realmente fosse "OS ÚLTIMOS DIAS".

Sobre a autora:


BELA DIAS nasceu em Rio Verde, uma cidade no interior de Goiás, em 1997. Atualmente, vice em Goiânia com seus pais e a irmã mais nova. Ingressou em 2016 no curso de Design Gráfico na Universidade Federal de Goiás. Foi durante sete anos filha única. A união disso a uma infância no interior resultou em uma imaginação extremamente aguçada. Cria histórias a todo momento, seja por escapismo ou por mero devaneio. De alguns anos para cá, decidiu transcrever essas histórias que antes só existiam em seus pensamentos. Por isso se define como uma contadora de histórias. Acredita que essa é uma das suas missões aqui na Terra. Vê-se praticamente obrigada a contar, compartilhar e inventar histórias. 

Até a próxima ;*

Comentários

  1. Me pareceu uma leitura bem atrativa, e como você disse que com uma urgência das coisas acontecerem eu acho que nos dias atuais temos ainda mais consciência de que o momento presente é extremamente significativo e num piscar de olhos podemos perdem quem mais amamos, então acho que a autora conseguiu capturar isso, pelo menos foi uma das coisas que me chamou atenção na sua resenha. Gostei muito, quero ler!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais Visitadas do mês

Pequenos Homens Livres | Resenha #92

EX- Humanos: Entre Sangue e Vermes | Resenha #91

Balançando a Raba 2.0

Missão Fênix - A Outra Guerra | Resenha #93

Os Guardiões | Crítica