Passageiros | Crítica


Dirigido por: Morten Tyldum
Distribuição: Columbia Pictures
Roteiro: Jon Spaihts
Gênero: Fantasia / Thriller
Lançamento (Brasil): 05 de Janeiro de 2017

Oi Oi amigos
Tudo bem com vocês?

Imagina o tanto que fiquei surpreendido com todo esse filme?!.
Não era um daqueles que eu sempre imagino "Preciso assistir esse filme". Fui na inocência do momento e confira o resultado de tudo isso agora.

Passageiros é um filme de ficção científica que se passa no espaço. Uma nave espacial, nomeada como Starship Avalon fará uma viagem durante cento e vinte anos para um planeta conhecido com Homestead II. Nela estão cinco mil passageiros e duzentos e cinquenta e nove tripulantes. Pensando bem, tem gente pra sobrar aqui, não é?.
Durante a viagem, nada acontece com a nave. Mas como nada é perfeito, a nave sofre uma chuva de meteoros ao seu encontro. Tudo acaba bem, até que ela começa a sofrer alguns danos. Para certificar, ela está em piloto automático e todos os cinco mil, duzentos e cinquenta e nove passageiros estão hibernados.


Trinta anos no espaço, uma câmara abre dando a vida de volta a Jim Preston (Chris Pratt), um engenheiro mecânico. Sem entender, ele haje naturalmente de início até descobrir que ainda faltam noventa anos para chegarem ao destino proposto. Ao passar de um ano, depois de uma festa solitária, ele encontra uma outra câmara com uma linda moça. Ele pesquisa sobre Aurora Lance (Jennifer Lawrence), uma escritora de Nova York que está muito contente com a viagem cósmica. O grande conflito de Jim agora é decidir: Esperar os noventa anos, ou melhor, a morte natural chegar, ou acordar Aurora e tirar dela a chance de conhecer Homestead II?


De início você deve pensar que Passageiros é chato demais. Já te digo: Se é amante de filmes científicos, corre agora para o cinema e não perca a oportunidade de contemplar essa belezura. Com um elenco pequeno, de sete personagens, a história me convenceu de que é tão real que agora quero viajar nessa Starship Avalon o mais rápido possível. 


Um enredo muito bem criado que contêm um conflito maravilhoso. Imagina você sozinho passando pelo mesmo que Jim? Eu no lugar dele teria feito a mesma escolha ou até pior. Agora imagina quando a coisa entra em salvar o restante do pessoal ao descobrir que a nave está apenas piorando e que isso nunca aconteceu na história da Avalon? Como salvar sem saber o que está acontecendo?. Parece até clichê pensar que as coisas acontecem na hora certa em filmes desse tipo.


Imagine Dragons, foi escolhido como uma das trilhas para o filme com a música Levitate que dá um ar de tranquilidade com uma letra tudo a ver com o enredo. O filme é composto por momentos de humor com o nosso querido robô barman, Arthur que é interpretado por Michael Sheen, e muita dramatização. Eu adorei ao filme e recomendarei a qualquer um que me pedir indicações para filmes que faça a gente refletir um pouco sobre nossas oportunidades, mesmo que coloque a sua vida em risco.


E não é atoa que o custo do filme tenha sido em média de cento e vinte milhões de dólares. Os efeitos especiais ficaram magníficos e eu espero que tenha dado lucro porque precisamos sim saber o que irá acontecer quando chegarem a Homestead II, não é mesmo?


Eu espero que vocês tenham curtido minha opinião e não esqueça de comentar o que você achou do filme caso tenha assistido e se não, quais são suas expectativas. Aproveite antes e confira esse super trailer, e até a próxima.




Comentários

Mais Visitadas do mês

Pequenos Homens Livres | Resenha #92

EX- Humanos: Entre Sangue e Vermes | Resenha #91

Balançando a Raba 2.0

Missão Fênix - A Outra Guerra | Resenha #93

Os Guardiões | Crítica