Herdeiros da Terra - TMJ N° 83 | Resenha #59


Oi Oi amigos
Tudo certo com vocês?

Olha que maneiro, voltei a ler gibis depois de muitos anos. Desde pequeno sempre tive acesso a esse gibis na escola onde estudava quando criança, e na casa de uma das minhas primas. A minha tia comprava aqueles Almanacões da Turma da Mônica e eu adorava ir para a casa dela justamente para ler e fazer as atividades deles. 
Andando com um amigo pela rodoviária, perto de onde eu trabalho, ele parou para me mostrar a edição do Chico Bento Moço que ele está colecionando. Curioso, resolvi comprar essa edição e mais uma para ler no trabalho. Sempre via essa revistaria e nunca me interessei pela Turma da Mônica Jovem, porque não tinha tempo para isso. Mas a minha criança interior me fez render a isso e comecei a colecionar essa edição.


Nesta edição, podemos já de início, ver que muita coisa mudou. Histórias com mais ficção. TMJ (Turma da Mônica Jovem) está com aquela pitadinha de seriedade. Não é mais aquele gibi voltado para as crianças com uma história bobinha (eu adorava) onde abordava a vida de meras crianças que tinham uma rotina em cima de rotina. 


Chico Bento está cursando faculdade de agronomia e está de férias. Seu Nhô Lau pediu para que ele olhasse suas terras porque algo de estranho está havendo ali. Chico também não sabe o que há e chama Franjinha para o ajudar. É óbvio que ele não foi sozinho. Mônica e Do Contra chegam junto matando a saudade do amigo. Denise, Juliana, o primo do Chico, Zeca e Zé Lelé também estão na brincadeira. Para apimentar a história, Zé Lelé acha um artefato e decide presentear Rosinha com ele. Franjinha vê que não é um objeto qualquer e vai mais fundo nessa história para desvendar todo o segredo por trás disso tudo.


Como eu disse, muita coisa mudou. Todos estão diferentes (AVÀ) e ficaram muito diferentes. Agora eu me identifico com todos eles e percebo que quando eu crescer, posso ficar bonitinho. Os costumes não foram perdidos e pude perceber várias referências e tópicos relacionados a todo esse mundo de fantasia e real que vivenciamos a todos os dias.



Esse é o primeiro gibi que estou lendo da coleção e estou adorando a experiência de volta. Tinha até esquecido o cheiro que isso tinha. O preço está bom e com tantas edições assim, vou reservar um espaço na estante apenas para eles.



Os desenhos continuam maravilhosos e sem nenhum defeito. O roteiro escrito por Emerson de Abreu, não deixa nada vago e é impossível termos dúvidas do que está sendo contato. O chato dessa edição, é que não vi que algumas delas, tem continuação. Como foi um gibi que já tinha saído há uns meses atrás, a edição oitenta e quatro, infelizmente não consigo achar. Vou demorar para saber o que acontece depois do "continua...", mas claro que não irei desistir. Se souberem algum lugar, ou alguém que venda a edição, me avisem por favor que ficarei muito feliz. 


Espero que tenham gostado.
Até a próxima.




Comentários

Mais Visitadas do mês

Pequenos Homens Livres | Resenha #92

EX- Humanos: Entre Sangue e Vermes | Resenha #91

Missão Fênix - A Outra Guerra | Resenha #93

Balançando a Raba 2.0

Os Guardiões | Crítica