Minha vez de brilhar | Resenha #57


Oi, oi, oi pessoal! Tudo bem com vocês?


“Quando olho para o céu, penso que Owen Stone pode até ser um grande nerd com um plano de auto melhoria, mas, pelo tanto que percebo, ele é o garoto mais legal que já conheci.”



ISBN-13: 9788581635033
ISBN-10: 8581635032
Ano: 2014 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: #Irado









Sinopse

Em uma noite, Indie faz um pedido para uma estrela. Ela quer muito reencontrar a sua lagosta de estimação, e também quer que sua irmã Bibi volte a gostar dela. Mas ter os seus desejos realizados pode exigir dedicação integral! Indie trabalha no teatro durante o dia, mostrando a Bibi e seus amigos o quanto ela pode ser útil. À noite, ela procura sua lagosta perdida, e para isso conta com a ajuda de seu novo grande amigo, Owen. Tudo vai bem até que Bibi e sua turma começam a pegar no pé de Owen, o maior exemplo de nerd e futuro loser. Será que Indie vai conseguir manter em segredo sua amizade com Owen? Será que, para ser uma pessoa melhor, Indie precisa mesmo ser diferente?


"- Ei, estrela cadente! Eu olho rápido para cima, mas não a tempo. - Nós vemos muitas por aqui - digo. - Pode ser seu. - O que pode ser meu? - pergunta ele. - Você pode fazer o pedido - digo. - Não, obrigado - ele diz, olhando um pouco mais no telescópio. - O quê? Por quê? - Fico observando o céu, procurando outra. - Não acredite no que dizem. Sobre fazer pedidos a estrelas cadentes, Indie - diz Owen. - O que você está querendo dizer? - pergunto, encontrando a constelação de Peixes no céu. - Quero dizer que, se a vida está péssima, não espere que fique ótima só porque você fez um pedido a uma estrela cadente. Não passa de um meteoro entrando na atmosfera terrestre. Ele queima ao tocar a atmosfera, o que cria aquele rastro. Não há nada de mágico nisso. É ciência. - OK, obrigada, Senhor Spock - digo, pensando no filme favorito de Papi. - Só estou dizendo que superstições como esta podem fazer as pessoas se sentirem melhor no curto prazo, mas não tem fundamento verdadeiro na realidade. - Talvez - digo. - Mas, quando você não tem nada a perder, que mal faz pedir algo a umas estrelas cadentes?" 

Resenha

A história é narrada por Indie Chickory de 12 anos, uma peixólatra que tem como animal de estimação uma lagosta dourada, que é super rara. Em seu último dia de aula, sua lagosta entra em sua mochila e causa grande confusão na escola. Infelizmente a lagosta que tem o nome de Monty desaparece deixando Indie desolada. Sua irmã a ridiculariza por Indie ser uma peixólatra que além de imitar vários peixes ainda fica o tempo todo com cheiro de peixe por alimentar a lagosta Monty todas as manhãs. Bibi a irmã de Indie, é um ano mais velha e é uma patricinha que deseja participar de musicais no teatro da cidade junto com as novas amigas que ela tanto admira.
Assim que a lagosta de Indie desaparece, ela resolve procura-la na praia, e nesta noite ela conhece Owen, que é um garoto novo na cidade e os dois logo fazem amizade. Owen começa ajudar Indie na busca por sua lagosta, enquanto Indie tenta melhorar o seu relacionamento com a irmã. Na busca de se aproximar da irmã e se tornar uma “Indie Chickory melhor” (como ela mesma diz), Indie vai trabalhar na oficina do teatro. Sua irmã, todas as manhãs escolhe a roupa que Indie deve usar para impressionar os amigos de Bibi do teatro, mas ao chegar na oficina, Indie precisa trocar de roupa e calçar sapatos pois Sloth (a chefe da Oficina, uma rockeira muito vida loka) não deixa que ela entre na oficina vestida com roupas tão delicadas. Junto com sua tia, Owen trabalha na parte de figurinos, e a amizade de Indie e Owen é constantemente escondida pois os amigos de Bibi acham ele um nerd idiota. Indie se vê dividida com relação a sua amizade com Owen que passa a ser seu melhor amigo e é quem a ajuda com a busca por Monty, e ao mesmo tempo é quem pode estragar toda evolução na aproximação com a irmã.



O que eu achei

Esse livro tem uma linguagem super leve, e a edição ajuda muito, pois as letras são grandes e fica uma delícia ler. 



A história tem uma carinha de filme da Sessão da Tarde, e a cada página você se transporta mais para a região litorânea. Quando comecei a ler, fiquei um pouco incomodada com a mania da personagem principal de citar nomes de peixes e de imitá-los constantemente, mas no decorrer da história percebi, que isso é um gatilho que ela usa para se acalmar em situações complicadas ou quando ela fica muito nervosa, e quem não tem uma válvula de escape em situações assim? Então, a história toda parece muito infantil, mas, existe a história por detrás, onde a gente percebe que é muito mais uma história de amizade, relacionamento e crescimento dos personagens, além do que, fica claro que é quando a personagem principal começa a fazer escolhas e a entender como essas escolhas interferem na vida.


Sei que não é um livro muito hypado, mas eu li, gostei e resolvi compartilhar. Até a próxima, tchau, tchau!!!

Comentários

Mais Visitadas do mês

Desafios | Jalysson Waldorf - Parte 1

It - A Coisa | Crítica

Balançando a Raba 4.0

IMPORTANTE. LEIA!

Missão Fênix - A Outra Guerra | Resenha #93