GRAHAM - O Continente Lemúria | Resenha #55


Oi Oi amigos
Tudo certo com vocês?

Imagine sua vida se transformar de um dia para o outro. Todos que você ama acaba tendo um trágico fim!. É isso que lemos a partir do momento em que Peter decide caçar os monstros que fizeram de sua vida um verdadeiro inferno. Confira abaixo a minha opinião sobre esse livro. Vem!



Título da obra: Graham – O Continente Lemúria
Autor: A. Wood
Publicado por: Editora Selo Jovem
Número de páginas: 210
Ano de publicação: 2014






Sinopse

“Essas criaturas malditas existem. São tão reais quanto qualquer pessoa. Elas existem, estão entre nós, e eu odeio todas elas. Quero vê-las mortas, torturadas, dizimadas. Estou aqui apenas para isso. Aniquilá-las uma por uma.”

Peter Graham é um caçador de vampiros, mas não foi sempre assim. Antes era um rapaz homossexual que enfrentava as dificuldades de uma sociedade dividida entre a aceitação, o respeito e a repugnância à sua condição. Tinha amigos, amores, preocupações e medos como qualquer jovem, mas tudo isso ficou no passado. O novo Peter é frio e destemido a conseguir seu objetivo: aniquilar o maior número de vampiros possível. No entanto, tudo sofre uma reviravolta quando se vê obrigado a realizar uma missão à Família de vampiros que procura há muito tempo: caçar e matar um lobisomem. O que Peter não esperava era se apaixonar por ele e acabar por descobrir um segredo muito antigo que pode ajudá-lo em sua busca...


Resenha

Buscando apenas uma vida normal, em meio a realidade, Peter Graham conquista tudo que deseja. Vivendo um dia após outro, vive um romance com outro rapaz até ter que colocar seus planos em primeiro lugar. Peter se prepara para mais um dia de sua caçada. Caçar vampiros e tentar descobrir o líder da corja não é tão fácil. Com astúcia e coragem toda a verdade é imposta e seu medo e coragem são testados a cada dia. Seu maior bem, sua família foi condenada a um futuro trágico. Mal ele sabia que quem estava por trás de tudo, era a pessoa em quem tinha lhe dado espaço para crescer e aprimorar suas habilidades. Uma nova vida é imposta e Peter é obrigado a largar o seu amor para uma missão que nem sabe se vai realmente conseguir desvendar.


Vinicius Fernandes é um cara que não sei bem o que ele pensa – nem quero pensar. Imagino a cabeça dele uma bagunça com pensamentos alternados a todos os instantes. Em Graham – O continente lemúria, uma nova história com os mais diversos assuntos clichês são trazidos de volta. E logo sendo um tema comum, o que se espera é uma novidade. Posso dizer que não encontrei nada de original nesse livro, mas que também digo que adorei. Fernandes usou a mesma tática que muitos autores usam de querer misturar vampiros e lobisomens em um  livro. E o máximo é que o cara conseguiu.


Graham é uma série que merece ser lida por um motivo: O final. Cada instante que lia o decorrer do desfecho de tudo, Peter me fazia gostar mais ainda dele. Os personagens aqui citados, tem uma evolução construtiva e alarmada a cada capítulo. Tudo bem que não é aquela coisa extraordinária mas sei que o que vale é o conteúdo. Uma história que é divida entre presente e passado deixou a coisa mais legal ainda. Não é uma leitura chata, que como disse, já prende o leitor no primeiro capítulo ao mostrar uma ação centrada em todo o assunto.


Sabe aquela coisa óbvia que você já lê e presume que vá acontecer, pois é. Graham – O continente Lemúria não foge disso, mas sempre tem aquela pitada de suspense de outra linha que se cruza. Por exemplo, o fato de que o vilão possa ser confiável. Como assim?. E é aqui que o personagem se transforma em outro ser mostrando maturidade. O legal é isso. É ver a evolução de toda uma vida em um fim dramático e triste. Mesmo que seja um assunto difícil de escrever, é bom viver. E viva esses autores corajosos em querer publicar algo do tipo.



Obrigado, Vinicius, por matar quem eu amava. Finalmente quando achei que iria ter aquele ápice de um final lindo, você me arranca isso. Quando amor pelos seus leitores. 


Sobre a Editora

A selo Jovem atualmente é uma empresa independente, atua no mercado do livro desde 2013 e já possuí gráfica própria, distribuição própria, salão comercial próprio, tornando-se rapidamente uma editora com base sólida e confiável. O catálogo conta com mais de 50 títulos publicados, entre eles dois livros em destaque com o selo best seller.

O objetivo da Selo jovem é publicar obras com 100% de qualidade literária, sem pressa e trabalhando duro na revisão dos textos. Contam com ótimos profissionais desde; diagramadores, revisores, capistas, design e uma gráfica de qualidade.


Espero ter gostado da postagem.
Até a próxima.
;*

Comentários

Mais Visitadas do mês

Pequenos Homens Livres | Resenha #92

EX- Humanos: Entre Sangue e Vermes | Resenha #91

Balançando a Raba 2.0

Missão Fênix - A Outra Guerra | Resenha #93

Os Guardiões | Crítica