O Lado Mais Sombrio | Resenha #51


"Tapo a minha boca para abafar um grito ou riso histérico. Poderia ser 
qualquer um dos dois a essa altura. Estou começando a apreciar a loucura."





Título da Obra: O Lado Mais Sombrio
Autora: A. G. Howard
Publicado por: Novo Conceito
Ano de publicação: 2014
Número de páginas: 364





Sinopse

Alyssa Gardner ouve os pensamentos das plantas e animais. Por enquanto ela consegue esconder as alucinações, mas já conhece o seu destino: terminará num sanatório como sua mãe. A insanidade faz parte da família desde que sua tataravó, Alice Liddell, falava a Lewis Carroll sobre os seus estranhos sonhos, inspirando-o a escrever o clássico Alice no País das Maravilhas.
Mas talvez ela não seja louca. E talvez as histórias de Carroll não sejam tão fantasiosas quanto possam parecer.
Para quebrar a maldição da loucura na família, Alyssa precisa entrar na toca do coelho e consertar alguns erros cometidos no País das Maravilhas, um lugar repleto de seres estranhos com intenções não reveladas. Alyssa leva consigo o amigo da vida real - o superprotetor Jeb -, mas, assim que a jornada começa, ela se vê dividida entre a sensatez deste e a magia perigosa e encantadora de Morfeu, o seu guia no País das Maravilhas.

Resenha

Já aviso que sou a lunática-apaixonada por Alice no País das Maravilhas. Então, não se assustem com a minha empolgação. O Lados Mais Sombrio é o primeiro livro de uma saga escrita por A. G. Howard, uma mulher incrível que acrescentou mais um livro pra me apaixonar sobre esse mundo.



Alyssa é uma menina que conversa com plantas e insetos, e é assim desde pequena. Sabe que essa loucura é passada de geração em geração para as mulheres de sua família, e o destino final é o sanatório. Na tentativa de silenciar essas vozes, Alyssa captura insetos e os usa em suas obras, espetando-os com alfinetes em uma tela. É nessas capturas que ela encontra uma linda mariposa negra, misteriosa e linda.



Alyssa começa a enlouquecer, tendo visões e pesadelos com o País das Maravilhas e decide enfrentar sua mãe, a única que pode ajudá-la a passar por esse momento. É quando ela descobre a chave para acabar com a maldição de sua família. Então, Alyssa encontra a toca do coelho e embarca nessa viagem de seu destino, sem perceber que seu amigo Jeb cai atrás dela. Os dois passam por várias provas até encontrar Morfeu, o guia deles nessa jornada.


A história de Morfeu com as mulheres da família de Alyssa já é antiga, mas seu relacionamento com ela é de longe o melhor - e mais romântico. Enquanto tenta provar seu valor e destruir a maldição, Alussa se vê presa em um triângulo amoroso entre Jeb, o superprotetor, e Morfeu, o intraterreno mais sexy e irritante que conhecem.



Eu amei muito essa saga, porque apresenta toda uma aventura com uma garota como protagonista, e ela é totalmente rebelde, independente, tempestuosa, louca e amorosa - seja com sua família humana ou intraterrena. Essa série de livros também tenta explicar como Lewis Carroll poderia ter se inspirado para a história, já que Alice não foi a primeira a descobrir o mágico mundo do País das Maravilhas.



A maioria dos personagens é bem gente como a gente: têm momentos bons e ruins, pensamentos loucos e desejos de experimentar algo novo. É muito legal ver como todos eles crescem e amadurecem durante o livro, como aprendem a conviver e deixar seu lado egoísta para um bem maior. Ensina também que uma promessa só é quebrada se você não souber como contorná-la: é preciso usar as palavras certas para fazer o juramento.



Essa saga se tornou uma das minhas favoritas, e nunca canso de relê-la. Além das capas serem lindas, a narrativa é simplesmente surpreendente e mágica, instiga o leitor a imaginar cada cena e personagem descritas. 



Comentários

Mais Visitadas do mês

Os Guardiões | Crítica

Edgar Allan Poe | Resenha #89

Eu, Robô | Resenha #88

Obsessões por Livros | TAG

Balançando a Raba 1.0