A Lenda de Materyalis - As Crônicas de Aliank | Resenha #48


Oi Oi amigos.
Tudo certo com vocês?

Se ainda não conhece essa série, precisa conhecer agora. Vocês irão ler aqui toda minha opinião sobre esse livro que me conquistou desde o dia em que chegou. Saymon Cesar é parceiro do blog. Mais um do time da Talentos da Literatura Brasileira (selo Novo Século). Então vem!



Título da Obra: A Lenda de Materyalis
Autora: Saymon Cesar
Publicado por: Talentos da Literatura Brasileira
Ano de publicação: 2016
Número de páginas: 239





Sinopse

No princípio dos tempos, as sociedades de Hedoron acreditavam nos mandamentos dos servos de Materyalis, suposto deus criador do Universo e da vida. A lenda diz que a divindade se angustiou ao observar os atos corruptíveis das suas criaturas e atribuiu a si toda a culpa da imperfeição dos povos. Sua consciência atordoada separou sua essência em duas entidades, criadoras de ideologias extremistas que dividiram a crença das sociedades. Assim nasceu a materja, a guerra que visa a consolidação de uma verdade entre todas as raças. Avessa ao propósito da contenda milenar, surge uma sociedade secreta, que busca o único artefato capaz de desvendar o que realmente foi Materyalis e, assim, livrar os povos da dúvida que os condenou aos intermináveis confrontos. Mas, para chegar ao objetivo, é necessário usar a misteriosa aptidão de cinco indivíduos habitantes de Aliank, um reino dominado por contradições que podem apressar a ruína do mundo antes que a verdade sobre Materyalis seja revelada.

Resenha

Quem me conhece bem sabe muito bem que amo fantasia épica. Quando mistura elfos no meio, ai que fica tudo mais bonito. Não vou me prolongar muito porque tenho tanta coisa para falar sobre esse livro que não sei nem por onde começar. Sabe aquela sensação perfeccionista? Pois é, acabou de baixar aqui. Mas vamos ao que realmente interessa?


Aqui temos três ideologias, especificadamente, religiões. São elas: Teryonismo, Marilismo e Emylismo. Aliank é um reino temido desde o triunfo de Berong sobre Garlak. Dois Lordes são chamados em Aliank para poder fazer uma "justiça" e fazer jus a respeito do reino. Dois irmãos que pregavam contra o deus benévolo e apoiava totalmente o deus malévolo são julgados pelo Lorde Sarlakros e Lady Liliel. Sarlakros um homem muito bruto não vê a hora de matar um dos traidores do reino. Ao contrário de Liliel, uma elfa, que tem o coração cheio de compaixão.


Após todo o julgamento na arena os dois são chamados a sala do trono onde está o príncipe. Ele os apresenta uma carta escrita pelo rei onde diz que uma maldição pode estar assolando todo o reino de Aliank. Uma fera solta está matando várias pessoas inocentes. Príncipe Edfeu então decide mandar os dois a procura dessa fera para que tudo possa ser resolvido. Será uma missão fácil?


Nem tudo é como esperei quando lia. O livro é dividido em oito visões. O sinkrorbe (algo como uma bola de cristal) de Harcos o mostra todas as cenas relatadas durante todo o desfecho. O mais interessante é que o livro funciona a base de narração. Tudo corre de forma rápida mais bem ao normal que da o trabalho de fazer valer a pena de ler. Aqui podemos nos deparar com personagens que constrói toda uma vida. Tudo bem que o livro é curto e poderia ser bem mais explorado, mas a forma como Saymon escreve deixa essa questão de lado. 


Em As crônicas de Aliank faz uma mistura de povos élficos, humanos e mestiços. Além de nos trazer uma história de fantasia, me mostrou algumas coisas relacionadas a sociedade de hoje. A forma como todos se desenvolvem é bem claro na leitura. Cada um tem seu posto a preservar e lutar ao que imagina acreditar. A grande dúvida é que deus seguir. Uma nova ideologia é criada pelos principais personagens malignos e põe a prova a fé de todos defensores de Aliank.

Eu gostei bastante do livro e posso dizer que já estou a espera do segundo volume e espero que saia bem rápido porque será muito tenso não saber o que acontece depois daquela despedida. Saymon, se apresse - HAHAHAHA.
Pensem nuns personagens fodas? Então... a benevolência de alguns me fez odiar outro e estou torcendo para esse ter um fim bem sórdido e dolorido. Estou suspeitando de altas possibilidades que Cesar terá para com ele. O final fica aquela coisa do tipo: COMO ASSIM?. E eu até pareço gostar disso. Já me acostumei com esses autores que chega, arranca meu coração e sai correndo que nem uma égua desgovernada (:P). Como eu já disse, ande logo com o segundo, por favor.


A edição está perfeita. Parabéns ao autor, a quem revisou o livro, está impecável. A capa deixa claro uma cena que podemos ler já nas primeiras páginas onde toda a história é contada desde seus bons feitos para o reino. E como não poderia faltar, sempre que leio, eu escuto música. Com toda essa fantasia não poderia deixar de dedicar Demons de Imagine Dragons para uma cena que em particular, foi terrível e linda.

Sobre o Autor


Saymon César, começou a desenvolver sua criatividade para contos fantásticos aos onze anos, quando já ensaiava narrativas bastante juvenis com os amigos através de jogos de RPG. Hoje, já são vinte anos de jornada. Admirador de temas fantásticos, seu foco nunca foi dedicado às regras, mas na importância de se contar boas estórias. Dados, fichas, sistemas etc. sempre foram tratados como ferramentas, com as atuações sempre enfoque. E por isso, por volta de 2001, aos 16 anos, conheceu o Role-playing game (RPG) pela internet, construindo sua primeira comunidade virtual em jogos interpretativos por chat.


É isso pessoal. Espero que tenham gostado da resenha.
Até a próxima.
Se cuidem.

Comentários

  1. Dale Saymon!
    Atravessando fronteiras sempre! Go, Materyalis!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais Visitadas do mês

Serial Killers - Anatomia do Mal | Resenha #95

Os Guardiões | Crítica

IMPORTANTE. LEIA!

Edgar Allan Poe | Resenha #89

Balançando a Raba 2.0