A Sereia | Resenha #36


Tornar-se sereia pode ser o sonho de qualquer menina, menos quando isso se torna sua sentença. Kahlen é uma jovem que precisa servir 100 anos afundando navios, e está disposta a fazer isso da melhor maneira possível. Tudo isso muda quando ela se apaixona por um humano.


Título: A Sereia
Autora: Kiera Cass
Publicado por: Seguinte
Ano da publicação: 2016
Número de páginas: 323

SINOPSE
      Se tornar uma sereia significa receber uma segunda chance, uma oportunidade de continuar vivendo em vez de morrer afogada no mar. Significa se juntar a uma irmandade de garotas aparentemente comuns mas que não envelhecem, não se machucam e têm beleza radiante. Por outro lado, o custo é alto: de tempos em tempos, as jovens precisam usar seu canto mortal para causar naufrágios que alimentam a Água. Só depois de cem anos de servidão as sereias enfim recebem uma nova vida humana.
         Anos atrás, Kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Água. Para pagar sua dívida, a garota se tornou uma sereia. Ela está decidida a cumprir sua sentença à risca, até que conhece Akinli. Lindo, carinhoso e gentil, o garoto é tudo com o que Kahlen sonhou.
         Apesar de não poderem conversar, logo surge uma conexão intensa entre os dois. É contra as regras se apaixonar por humanos, e se Água descobrir, a sereia será obrigada a abandoná-lo para sempre. Mas pela primeira vez em muitos anos de obediência, Kahlen está determinada a seguir seu coração.

O que eu achei:
         Eu, grande fã de A Seleção, estava louca por esse livro. Kiera tem a habilidade de apresentar garotos maravilhosos e me fazer apaixonar por eles – Maxon, meu crush, e Aspen, o garoto que eu odeio e amo.
         Nesse livro, Kahlen é uma garota que foi salva de um naufrágio. Sentenciada a viver cem anos como sereia, ela terá que causar tragédias marítimas para alimentar Água, a mãe-mar. Junto com outras três amigas, Kahlen vive mudando de cidade. Até que ela conhece Akinli.
         As sereias buscam lazer nas coisas humanas, e Kahlen estava passeando por uma universidade quando encontrou Akinli. Apesar de ela não poder falar, ele não se sentiu mal por isso e preencheu todos os espaços vazios.
         A história é muito fofa e bem escrita, mas acho que foi acelerada. Kiera poderia ter aproveitado mais a vida deles, explorado muito mais. Mesmo assim, é um bom livro.

"Sempre há espaço para o amor, mesmo que
seja tão pequeno quanto uma fresta na porta."

Comentários

  1. Gabi, desde que eu vi A Sereia pela primeira vez, eu me apaixonei por sua capa, e agora que tive a oportunidade de ler uma resenha, quero adquirir em breve o livro e fazer a leitura.
    Histórias sobre sereias sempre me chamaram atenção, e saber que encontraremos um romance quase proibido neste livro, me deixou bastante curiosa para saber mais sobre ele.
    Espero ter a oportunidade de lê-lo em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ale, eu sou apaixonada por sereias, e gostei muito desse livro - apesar de elas não terem cauda.
      Espero que leia assim que puder!
      Beijos

      Excluir
  2. parabéns pela resenha (; esse livro já está na minha listinha desde o lançamento rs

    ResponderExcluir
  3. Acho que por ser um livro de estreia não seja tão bom quanto A Seleção, mas mesmo assim estou bem curioso para ler. Da autora só li o primeiro livro da saga e gostei bastante, a escrita dela é ótima. Abraços ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dan, apesar de não ser tão incrível quanto A Seleção, é um bom livro, ótimo pra passar o tempo.
      Abraços!

      Excluir
  4. Oiiee, tudo bom?
    Eu quero muito ler esse livro, li A Seleção e amei, não tem como não se apaixonar pelo Maxon lindo né hehehe, dá para entender o fato de ter uma romance rápido, pois é o primeiro livro da kiera, nunca li livros com sereias, então estou ansiosa para conhecer.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila, tudo bem?
      Eu sonho em ter um Maxon pra mim, ou até mesmo um Akinli (personagem de A Sereia).
      Leia, tenho certeza de que vai gostar!
      Beijos!

      Excluir

Postar um comentário

Mais Visitadas do mês

Os Guardiões | Crítica

Edgar Allan Poe | Resenha #89

Eu, Robô | Resenha #88

Obsessões por Livros | TAG

Balançando a Raba 1.0