Condão | Resenha #16


Oi Oi amigos.
Tudo certo com vocês?

Terminei a minha leitura de Condão na madrugada do dia 17/11 e gente, que livro.

Vem comigo.

Para inicio de tudo preciso dizer que o autor me mandou um kit com muitos mimos, eu pirei, estava esperando apenas o livro e tal mas, de repente vejo uma caixa roxa e pensei "ele não fez isso". Gente, eu pirei mesmo. O livro é muito bem feito. Quem me conhece sabe muito bem que amo os livros da Novo Século por ter um acabamento bem trabalhado, é uma equipe boa mesmo.

Confesso pra vocês que quando vi o livro não dei nada. Tenho uma coisa comigo: Não leio sinopses. Vou apenas mesmo pela opinião e leio. Com muitos livros eu sou assim e tenho o prazer de ser pra lá na frente, quando eu acabar o livro dizer pra mim "duvidou da capacidade? toma!".

Giordano me surpreendeu. Condão me pressionou na parede e gritou "ME AME CARALHO". Só um aviso: AMEI. Comentei com minha amiga Patricia que leu o livro e ela disse que ele se tornaria meu xodó da estante. Foi dito e certo.


Vamos pra resenha?







Nome do autor: Giordano Mochel Netto.
Título da obra: Condão.
Publicado por: Novo Século, selo: TDLB.
Lugar e data de  publicação: São Paulo - 2015.
Número de páginas: 396.






                                               Sinopse
 Edwardo é um jovem programador virtual do Instituto Tecnológico do Rio de Janeiro e tem uma vida totalmente organizada e estabilizada na sociedade ultratecnológica. Suas poucas preocupações se resumem ao trabalho, ao relacionamento apaixonado com a namorada Sílvia, biogeneticista, e à amizade antiga e franca com Jânio, professor de História Moderna e especialista na Teoria do Condão. No entanto, sua vida dará uma enorme guinada quando, involuntariamente, presencia o assassinato de dois jovens por drones responsáveis pela segurança pública. Não era para estar lá. Em uma fuga alucinada, onde sua vida mantém-se permanentemente em risco, Ed arrasta Jan e Sílvia em uma busca incessante pela explicação dos assassinatos através de diversas regiões do Brasil. O trio descobre que esta verdade envolve vários fatos obscuros que levaram a sociedade ao atual nível de desenvolvimento, uma revelação estarrecedora.








                                               Resenha
O livro já começa com uma ação muito louca. Amo quando o autor trás isso logo no início porque eu fico bem envolvido e não consigo parar.
Condão é uma distopia que se passa aproximadamente no ano de 2060, no Rio de Janeiro e tem uma evolução tecnológica muito grande. Drones são usados para a segurança pública como se fossem policiais, praticamente.

Edwardo estava ali de boa fumando e próximo a ele tinha mais dois jovens andando e pensou que poderiam estar vindo um festa. Dois drones se aproximaram dos rapazes e achou que naquele momento seria a mesma coisa de sempre, os drones iriam expor o código de Contravenção Penal e sentenciá-los mas não. Ed se abaixou rapidamente ao ver que os drones não estavam normais. Se levantou e viu os dois rapazes deitados imóveis no chão. Ficou sem saber o que fazer e cheio de dúvidas resolveu correr para longe daquelas maquinas.

Jânio, amigo de Ed o vê na porta de sua casa com o semblante assustado implorando para entrar. Jan o deixa subir e fica louco pra saber o que aconteceu. Ewardo conta tudo para seu amigo e então Jan diz ser algo impossível. Após algum tempo de pesquisa então pode ver que os jovens estavam mesmo mortos. 

" - Os moradores da cidade vivem em um estado de alienação constante, voltados para o próprio mundo. Fechados para tudo que acontece no exterior. Se contentam apenas com o que veem na mídia. Mas toda ela é manipulada. Os dados importantes são fabricados."

Após ver que não está sendo perseguido pelos drones, Ed decide invadir o sistema Central do Condão. Vê que sua namorada, Sílvia pode estar correndo um alto risco depois de dar uma quantidade da substância proibida para ele fumar. Ed corre a casa de Sílvia e sem explicar o que está acontecendo tenta fugir daquela cidade juntamente com seu amigo.
Na fuga ele explica tudo para sua amada. Eles fogem pelos tubos e pelas linhas de trem desativadas a muitos anos. No caminho que percorrem nem imaginam o que esteja acontecendo fora dali.

Naquele percurso eles se deparam com alguns homens de aparências velhas como idosos juntamente com uma bela moça. Ed, Jan e Sílvia imaginam que estão lascados e que dali pra frente estarão mortos. Mas a mulher chamada Celeste diz apenas para abaixarem os braços e ficarem tranquilos porque eles estavam esperando os três. Como o torpor do momento a única coisa que fazem é seguir as instruções daquela bela moça. 

No caminho para onde está os levando, Celeste é avisada por Ed que algo estejam os seguindo. Celeste os dão instruções do que vestir para se camuflarem e não são reconhecidos pelo drone. Chegando ao destino os três fugitivos descobrem que não são os únicos que estão realmente fugindo do sistema do Condão. O Patriarca tira todas suas dúvidas e os revelam os segredos mais sombrios que já puderam ouvir. Ed, Jan e Sílvia sabem que dali pra frente suas vidas mudarão e dizem estar preparados para a revolução que está por vim.

                                        
                                           Sobre o Autor


Giordano Mochel Netto é bacharel em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Bacharel em Direito pela Universidade Estácio de Sá, especialista em contabilidade pública e transporte público. Atualmente divide seu tempo como Auditor Estadual de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão e como advogado.


Acessem o site do autor clicando AQUI e fique por dentro de tudo.
O livro está sendo vendido nas melhores livrarias do Brasil. 
Fique por dentro das novidades também através da PÁGINA no facebook. 


Então é isso galera.
Gostou da resenha? deixa aqui seu comentário, se tem a curiosidade de ler, se já leu. Seu comentário é muito importante pra mim.

Fiquem com o papai do céu e se cuidem.
Até a próxima postagem.
Beijão ;*

Comentários

  1. Me deixou com mais vontade ainda de ler ❤️ Parabéns pela resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ler Amanda. Leia mesmo, certeza que irá amar.

      Excluir
  2. EU NECESSITO DE UMA CONTINUAÇÃO! Realmente, o livro te obriga a amá-lo kkkkkkkkkkkk

    www.nacasadoslivros.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos aguardar. Giordano me disse que é possível.

      Excluir
  3. Que resenha maravilhosa gente. Amei. Quero muito ler agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ler Fran. Leia sim. Como eu amei o livro você irá adorar.

      Excluir
  4. Parabéns pela resenha, pena que não curto muito obras desse gênero.

    Beijokas da Quel ¬¬
    http://literaleitura2013.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ler Raquel. Uma pena mesmo. poderia testar, quem sabe algo possa mudar?

      Excluir
  5. Oie, que resenha maravilhosa é essa? Já me fez querer ler, espero que o meu chegue logo !!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ler Isamara. Esperarei sua opinião, beleza?

      Excluir
  6. Oi!!!
    Que capa é esta??? Linda
    Já coloquei na minha lista, adorei a sinopse e resenha.
    Parabéns a editora por acreditar em produtos nacionais.

    Abraços Carla

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ler Carla.
      A Novo Século tem feito muito pelos autores brasileiros. Como eu sempre disse "hoje os autores estão bem mais visados, nossa cultura está crescendo, o preconceito por livro brasileiros está caindo e que continue apenas a melhorar".
      E com isso trazer pra gente belas histórias. <3.
      Anote ai e leia. Esperarei sua opinião depois. Beleza?

      Excluir
  7. História com muita ação ! Não leio distopias com frequência , mas gostei muito dos que li ! Você pelo jeito é super inteirado nesses enredos ! Tenho vontade de ler mais pra frente.. Parabéns pela resenha e blog :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais Visitadas do mês

Pequenos Homens Livres | Resenha #92

EX- Humanos: Entre Sangue e Vermes | Resenha #91

Missão Fênix - A Outra Guerra | Resenha #93

Balançando a Raba 2.0

Os Guardiões | Crítica