Um Mais Um | Resenha #05

Olá. 
Como sabem, eu não curto muitos romances e esse ano estou tentando mudar minha opinião. 
Todos que li ultimamente me deixaram satisfeito.

Mas... hoje não estou aqui para ladainhas... enfim, o título já diz tudo.



Título da obra: Um Mais Um
Título original: The One Plus One
Nome do Autor: Jojo Moyes
Publicado por: Editora Intrínseca
Lugar e data da publicação(brasileira): Rio de Janeiro/ 2015
Número de páginas: 319


                                                                                                       SINOPSE

Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou. Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno prodígio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?
Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de veraneio por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em
casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente —, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.
Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.




                                                                   RESENHA 


Jess é uma mulher trabalhadora - é faxineira e atendente de um PUB - que cuida de dois filhos sozinha. Foi deixada pelo seu ex marido que ainda imagina que possam retomar a relação.

Nicky é filho de Marty(o ex marido), é um garoto que adora usar maquiagens e adota um estilo gótico e mora com Jess desde os oito anos de idade.

Tanzie, a filha mais nova de 10 anos é super fera em matemática. A família tem um cachorro que se chama Norman (eu adorei esse cachorro). 

A família passa por momentos difíceis financeiramente e busca recursos para sobreviver desde que Marty fora embora, há dois anos.

A mãe recebe um telefonema que pode mudar a vida de sua família, mas tudo depende de Tanzie para que consigam mudar de vida e ainda entrar numa escola particular especialmente para crianças super dotadas em matemática. A caminho da longa viagem que terão que fazer, Jess é surpreendida.

Naquele momento ela se vê diante de ED.

Ed é um homem super rico e geek. Também passa por momentos difíceis com sua vida e é expulso de sua própria empresa. 
Jess é faxineira de Ed e fica com muita vergonha quando ele diz que quer levá-los até o destino onde Tanzie fará a Olimpíada de matemática.

A viagem foi divertida e os quatro seguiram para um único destino com pensamentos positivos - menos Ed -.

Chegando ao local da Olimpíada em cima da hora, coisas surpreendentes acontecem, e a vida dos quatro está destinada a mudar após essa prova. Mas... mudar para o melhor ou para o pior?




Agora vocês tratem de ler o livro. hahahahahaha porque não estou a fim da dar spoiler e depois ser xingado pelo resto da minha vida.  
Fiquem todos bem.
Se cuidem.
Até o próximo post. ;*





Comentários

Mais Visitadas do mês

Pequenos Homens Livres | Resenha #92

EX- Humanos: Entre Sangue e Vermes | Resenha #91

Missão Fênix - A Outra Guerra | Resenha #93

Balançando a Raba 2.0

Os Guardiões | Crítica